Turismo Religioso: Inaugurado o Caminho de Peregrinação de Potunduva até o Mosteiro Paraíso, em Torrinha

Foi realizada na manhã de hoje, 22/10, a bênção inaugural do “Caminho de Peregrinação Via Lucis”.  A cerimônia ocorreu às margens do Rio Tietê, no marco onde teria ocorrido um milagre de Frei Galvão. O Caminho de Peregrinação passa pelos municípios Jaú, Mineiros do Tietê, Dois Córregos, Brotas e termina em  Torrinha, no Mosteiro Paraiso.

publicidade

O primeiro grupo que faz a peregrinação  é formado por 30 cavaleiros. Deverão percorrer  os 112 km em 4 dias.  A primeira parada do grupo será em Jaú.  Depois seguem pela zona rural até Dois Córregos com chegada pela avenida Bonsucesso, no Jardim Arco-Íris.

O Grupo deve entrar na cidade  na sexta-feira, pela avenida José Alves Mira até alcançar a rua 15 de Novembro e seguir até a saída da cidade pela Vila Santa Terezinha, de seguem até Torrinha. No domingo,  o grupo segue até o Mosteiro do Paraiso, concluindo a trilha com almoço.

Para realizar a caminha é necessário a aquisição de voucher  que tem custo de 35 reais. A iniciativa é da Associação dos Peregrinos Via Lucis liderada pelo padre Nilton Antonio Marques, do Mosteiro Paraiso. Todo trajeto foi sinalizado  e custeado pelos municípios envolvidos.

Modelo do Voucher
Mapa do Caminho de Peregrinação

O milagre de Potunduva

Foi por volta de 1810, no distrito de Potunduva, em Jaú, às margens do Tietê. Manoel Portes, capataz de uma fazenda, foi apunhalado por uma pessoa e, quando sentiu que iria morrer, clamou por Frei Galvão para se confessar. Porém, aquele era um local deserto e distante de São Paulo. De repente surgiu Frei Galvão, que escutou o homem, absolveu-o de seus pecados e, em seguida desapareceu. As pessoas que estavam por perto, e assistiram tudo, não conseguiram explicar o que havia acontecido. Soube-se, mais tarde, que naquele mesmo momento, numa igreja de São Paulo, o Frei havia interrompido a missa que realizava e pediu aos fiéis que rezassem por uma pessoa, que longe dali, estava agonizando.
Uma capela memoriza esse episódio, sendo um centro de devoção a Frei Galvão.

Comentários
Compartilhe